Ativo 31@5x
Ativo 31@5x

Descomissionamento da unidade FPSO Capixaba

Compartilhe este artigo

O descomissionamento de unidades de produção de petróleo é um processo integrado que envolve a desativação definitiva de uma embarcação ou plataforma. Esse pode ocorrer em conjunto com a interrupção das atividades no campo de petróleo ou de forma isolada, quando a unidade atinge o fim de sua vida útil ou esgota sua capacidade comercial. 

Neste artigo, abordaremos o caso específico do descomissionamento da unidade FPSO Capixaba, localizada no campo de Cachalote, na região do Parque das Baleias, na Bacia de Campos (ES). Mostraremos também o papel da  Proper Marine nesse importante projeto.

Sobre o FPSO Capixaba e seu descomissionamento

O FPSO Capixaba é uma unidade do tipo flutuante de armazenamento e transferência, instalada no campo de Cachalote, na Bacia de Campos, litoral sul do Espírito Santo. Com capacidade para produzir 100 mil barris por dia e de processar 3,2 milhões de metros cúbicos diários de gás, operava conectado a dez poços (oito produtores e dois injetores), em lâmina d’água de 1.483 metros.

Depois de 12 anos de operação no campo de Cachalote, a Petrobras e a SBM, suas operadoras, iniciaram o processo de descomissionamento do FPSO Capixaba, justificado pelo Projeto de Desenvolvimento Integrado do Parque das Baleias, da Petrobras, no qual a unidade será removida e os poços serão interligados à plataforma P-58. Considerando o término do contrato com a Petrobras, a proximidade do fim da vida útil do FPSO e o atual cenário offshore brasileiro, esse processo se tornou a melhor opção para a SBM. 

A unidade será exportada para um estaleiro certificado para atividades de desmantelamento, após obtenção de todas as aprovações necessárias junto aos órgãos brasileiros e estrangeiros.

Por ser um dos primeiros projetos deste tipo no Brasil, o descomissionamento da unidade FPSO Capixaba representa importante marco na indústria offshore brasileira.

Além disso, a Petrobras anunciou que haverá o descomissionamento de 26 plataformas flutuantes no Brasil, com investimento de US$ 9,8 bilhões até 2027, mostrando a relevância e a demanda crescente por esse tipo de projeto.

Oportunidades e desafios no descomissionamento

O processo envolve a desativação gradual das operações da unidade e o desmonte de suas instalações. As primeiras etapas consistem na limpeza e desconexão dos risers e na desmontagem de equipamentos e estruturas que não serão mais utilizadas. 

Em seguida, ocorrerá a reciclagem e a destinação adequada dos materiais retirados, considerando a importância da sustentabilidade e a proteção ambiental. 

O descomissionamento de unidades offshore é uma atividade que abre novas oportunidades para a indústria brasileira de petróleo e gás, com a possibilidade de investimentos em infraestrutura portuária e embarcações especializadas. 

No entanto, é um processo complexo que apresenta diversos desafios técnicos, regulatórios e logísticos. Por isso, a Proper Marine emprega abordagem rigorosa, utilizando estudos detalhados, análises avançadas e a experiência da equipe para diminuir os riscos e garantir a segurança e o desempenho eficiente do projeto. 

O Papel da Proper Marine nesse importante processo

A Proper Marine, em colaboração com a SBM, está desempenhando papel fundamental no descomissionamento do FPSO Capixaba. As soluções oferecidas pela empresa abrangem serviços de engenharia técnica, com foco nas atividades preparatórias do descomissionamento e do reboque, e de consultoria regulatória, de forma a garantir a conformidade com os rígidos regulamentos e convenções aplicáveis do setor.

Com a Proper Marine sendo parte deste projeto, espera-se que a operação seja conduzida de forma segura, sustentável e em conformidade com as regulamentações vigentes. Essa oportunidade destaca a empresa como especializada e competente para enfrentar os desafios desse setor em constante evolução.

Para mais informações sobre o assunto e as soluções oferecidas pela Proper Marine, acesse nosso site e confira outros projetos na área de engenharia naval e offshore.

Veja mais